Outras Notícias

Veja os Comentários


14/10/2003-15:20:09
WCT
 

Nesta terça foram realizadas mais nove baterias da primeira fase do Billabong Pro Mundaka 2003. Danilo Costa e Paulo Moura venceram, com Victor Ribas e Guilherme Herdy passando em segundo para a próxima fase, que já tem Peterson Rosa classificado depois da vitória de ontem, na estréia da competição.

Em boas ondas de até 1,5 metros foram reiniciadas as disputas, com a realização da segunda até a 11a bateria da primeira fase do evento. Porém, no decorrer do período a maré secou demais e as ondas perderam bastante em qualidade e tamanho, forçando a paralisação do evento na 12a bateria.

Devido à inconsistência das ondas de Mundaka, que funcionam em momentos específicos da maré, os organizadores se reuniram com os atletas e decidiram eliminar a repescagem da competição, garantindo que os surfistas entrem no mar somente quando as condições estiverem boas e possam apresentar bons desempenhos.

Assim, somente os dois primeiros se classificam para a fase seguinte, com o terceiro colocado eliminado da competição na 33a colocação, com 288 pontos e US$ 3 mil de premiação.

Na segunda bateria do dia o potiguar Danilo Costa voou baixo para vencer os adversários. O aussie Mike Lowe ficou em segundo e também avançou, com o norte-americano Pat O'Connell eliminado em terceiro lugar. Pat machucou seriamente os ligamentos do joelho direito durante a bateria e está sob cuidados médicos.

Com um surf consistente, Costa abriu a bateria com uma nota 7.67 para, em seguida, pegar um longo tubo que lhe valeu 8.50 pontos e garantiu a vitória na disputa, a primeira depois do terceiro lugar em Teahupoo. Ele terminou com 16.17 pontos de média, contra 10.87 de Lowe e 7.16 de O'Connell.

"Foi uma bateria forte e é minha primeira vez em Mundaka. Dei sorte de encontrar aquele tubo, na segunda seção da onda, e consegui uma nota alta. Precisava desse resultado, pois terminei em 33o lugar em todas as etapas depois do Tahtit. Agora vou com tudo para tentar um bom resultado e melhorar minha situação no ranking (39o lugar)", comemorou o brasileiro.

Na quarta bateria foi a vez do catarinense Neco Padaratz, vice-campeão do evento em 2002, entrar na água. Porém, mais uma vez a sorte não estava ao lado de Neco, que novamente teve a prancha quebrada durante a bateria, perdendo bastante tempo para sair da água e pegar a prancha de Luke Egan emprestada, num ato de camaradagem do australiano.

Mesmo assim, apesar das médias fracas da bateria, Neco não conseguiu superar os 12.17 pontos do norte-americano Tim Curran, vencedor do confronto, e os 10.83 de Taylor Knox, segundo colocado, ficando com apenas 5.76 pontos de média.

Outro que foi pego de surpresa com uma derrota prematura foi o havaiano Andy Irons, eliminado pelo aussie Phillip MacDonald e pelo convidado ianque da Billabong Nathan Yeomans. Apesar de precisar de apenas 6.17 pontos para se classificar, Irons, defensor do título da etapa e campeão da última etapa, na França, não conseguiu encontrar nenhuma onda satisfatória e deu adeus à prova.

"Não devíamos ter um evento sem a repescagem", lamentou o havaiano. "Não é o formato original e eu não estava presente quando decidiram mudar, não me lembro sequer de ter sido perguntado sobre isso. As ondas estavam terríveis na maré seca, fechando muito. Tinha algumas boas, mas os frontsiders definitivamente levam vantagem", disse um frustrado Andy.

"Tenho certeza que Taj (Burrow) ou Kelly (Slater), meus principais adversários no ranking, irão ganhar o evento. Sei que tornará mais excitante, mas para mim será um tormento. Tenho que ir com tudo para tentar uma vitória na próxima etapa, no Brasil", completou Irons.

Na quinta bateria Victor Ribas se classificou atrás do aussie Kieren Perrow, com o português Tiago Pires eliminado. No confronto seguinte foi a vez de Paulo Moura mostrar a força brazuca ao vencer o furacão australiano Mick Fanning, classificado em segundo, e eliminar a promessa aussie Adrian Buchan.

Por fim, na última bateria do dia o carioca Guilherme Herdy conseguiu pular da terceira para a segundo colocação nos últimos três minutos de bateria, garantindo mais uma vaga para o Brasil na terceira fase da competição. Amanhã o paraibano Fábio Gouveia é o primeiro brazuca a entrar na água, contra os aussies Daniel Wills e Nathan Hedge.
Depois é a vez de Armando Daltro contra Cory Lopez e Beau Emerton na 14a bateria e Flávio Padaratz contra Richard Lovett e Lee Winkler na 16a e última disputa da primeira fase.

A próxima chamada para início acontece nesta quara às 10 horas do horário local (3 horas no horário de Brasília).

Mais uma vez uma parceria entre o portal Waves Terra, Billabong Brasil, Beach & Byte e ASP proporciona a tramissão ao vivo do evento com narração e português.

Billabong Pro Mundaka - primeira fase

2 Danilo Costa (Bra) 16.17; Mick Lowe (Aus) 10.87; Pat O'Connell (EUA)
7.16
3 Michael Campbell (Aus) 17.17; Luke Egan (Aus) 12.43; Tom Whitaker (Aus)
10.74
4 Tim Curran (EUA) 12.17; Taylor Knox (EUA) 10.83; Neco Padaratz (Bra)
5.76

5 Kieren Perrow (Aus) 10.83; Victor Ribas (Bra) 7.84; Tiago Pires (Port)
6.94
7 Joel Parkinson (Aus) 16.43; Trent Munro (Aus) 11.0; Sam Carrier (Aus)
5.9
6 Paulo Moura (Bra) 9.9; Mick Fanning (Aus) 9.0; Adrian Buchan (Aus) 8.53
8 Phil MacDonald (Aus) 13.16; Nathan Yeomans (EUA) 12.43; Andy Irons (Haw)
11.34
9 Kelly Slater (EUA) 13.87; Jake Paterson (Aus) 13.1; Iker Fuentes (Esp)
8.76
10 Kalani Robb (Haw) 13.84; Taj Burrow (Aus) 7.7; Hodei Collazo (Esp) 6.9
11 Dean Morrison (Aus) 15.1; Guilherme Herdy (Bra) 13.77; Toby Martin
(Aus) 12.16

Baterias restantes

12 Daniel Wills (Aus); Nathan Hedge (Aus); Fabio Gouveia (Bra)
13 Mark Occhilupo (Aus); Shane Powell (Aus); Darren O'Rafferty (Aus)
14 Cory Lopez (EUA); Armando Daltro (Bra); Beau Emerton (Aus)
15 Damien Hobgood (EUA); Chris Davidson (Aus); Luke Hitchings (Aus)
16 Richard Lovett (Aus); Flavio Padaratz (Bra); Lee Winkler (Aus)
 

--> Inclua seu comentário <--


 


COMENTÁRIOS