Outras Notícias

Veja os Comentários


18/07/2010-22:24:56
Brasil Surf Pro
 

Alan Jhones e Suelen Naraisa vencem etapa

Potiguar assume a ponta do ranking e paulista mantém a invencibilidade em Pernambuco

O potiguar Alan Jhones, 21 anos, conquistou sua primeira vitória no Brasil Surf Pro 2010 e é novo líder do ranking brasileiro profissional. Na final nordestina da segunda etapa da temporada na Praia do Cupe, o surfista de Baía Formosa derrotou o baiano Rudá Carvalho, 22, que subiu para terceiro no ranking. Já no feminino, a atual campeã brasileira Suelen Naraisa, 25, manteve a invencibilidade esse ano contra a catarinense Juliana Quint, 29, na decisão em Ipojuca, no litoral sul de Pernambuco. A próxima etapa da corrida dos títulos brasileiros está marcada para os dias 22 a 26 de setembro no Rio de Janeiro, mas a Praia do Cupe sedia nessa semana a Seletiva Petrobras de Surfe Masculino, principal competição da Divisão de Acesso do Circuito Brasileiro, cuja primeira etapa também foi vencida por Alan Jhones.

“Foi show fazer minha primeira final com o Rudá (Carvalho). É um grande amigo, mas eu estava focado na vitória. Achei uma direita ali que me garantiu o primeiro lugar, mas a ficha não caiu ainda”, confessou Alan Jhones, que lidera o ranking no seu ano de estréia na divisão de elite do surfe nacional. “Eu já comecei o ano com este objetivo de ser campeão brasileiro no meu primeiro ano. Lá em Ubatuba fiquei na semifinal, mas aqui deu tudo certo e agora é ir atrás do objetivo maior, que é o título brasileiro”.

As duas finais do Brasil Surf Pro de Pernambuco não rolaram na melhor condição do mar mexido pelo forte vento maral, com séries demoradas na maré secando na Praia do Cupe. O baiano Rudá Carvalho abriu bem a bateria com um nota 6,83, com Alan começando com um 4,33. Os dois arriscaram bastante as manobras nas poucas ondas que surfaram e o potiguar entrou na briga numa direita que aplicou uma rasgada, seguida por uma batida forte e outra na junção, que valeu nota 5,5 e a liderança na bateria.

Rudá Carvalho chegou até a quebrar a cordinha que segura sua prancha numa onda, tendo que sair do mar para trocar o equipamento. Enquanto isso, Alan Jhones voa num aéreo rodando incrível, porém não completou a manobra. Rudá recupera a ponta em sua quinta onda, nota 4,20, mas é por pouco tempo. Faltando 5 minutos para o término, Alan arrebenta outra onda e ganha nota 7,33 dos juízes para faturar o prêmio máximo de 20.000 Reais do Brasil Surf Pro 2010, com um placar de 12,83 x 11,03 pontos.

“O Alan (Jhones) merece tudo que está acontecendo pra ele e espero que consiga muito mais”, elogiou o baiano de Ilhéus, Rudá Carvalho. “Estou feliz por ele, triste por mim, mas a mistura de sentimentos é positiva. No ano passado fiquei em terceiro na etapa aqui do Nordeste lá em Salvador (BA), agora fiz a final, fiquei em segundo e estou feliz pelo resultado também. Agora subi para terceiro no ranking, mas ainda não é hora de pensar em título brasileiro. É muito cedo, pois ainda temos três etapas pela frente”.

Com viradas sensacionais nos minutos finais das baterias, eles deixaram dois campeões brasileiros nas semifinais. O potiguar Alan Jhones fez o maior placar do dia - 15,06 pontos - para superar o alagoano Tânio Barreto no primeiro duelo masculino do domingo ensolarado na Praia do Cupe. No segundo, foi a vez do paulista Renato Galvão liderar praticamente toda a disputa com Rudá Carvalho, que só garantiu a classificação para a sua primeira final na Divisão Principal do Brasileiro na última onda que surfou.

Na categoria feminina, a campeã brasileira Suelen Naraisa também confirmou passagem para sua 15.a decisão só no último minuto da bateria contra a paraibana Diana Cristina. E na segunda semi, Juliana Quint teve menos trabalho para superar a jovem paulista Camila Cássia. Na grande final, poucas ondas boas entraram na bateria e, com uma nota 3,67, Suelen Naraisa festejou sua nona vitória na história da Divisão Principal criada em 2000, mantendo-se invicta em todas as suas baterias no Brasil Surf Pro.

“O mar ficou muito difícil bem na hora das finais, com a maré secando, mas surfe é isso mesmo. Eu já ganhei arrebentando a bateria, já ganhei na tática e agora ganhei só com uma onda”, resumiu Suelen Naraisa, que segue firme na busca pelo bicampeonato brasileiro. “Demorei muito pra ser campeã pela primeira vez e esse ano quero o bi para dedicar ao meu avô que faleceu um pouco antes da primeira etapa lá em Ubatuba. Sei que o circuito está só no começo, que todas as meninas estão surfando muito bem, mas já tenho duas vitórias e vou manter o trabalho que venho fazendo para tentar o bi esse ano”.

A catarinense Juliana Quint também foi vice-campeã na etapa de abertura do Brasil Surf Pro 2010 em Ubatuba (SP) e saiu lamentando das condições do mar, que prejudicou bastante o rendimento de todos os finalistas. “Foi minha pior bateria, infelizmente. Sem ondas, as grandes fechando, piorou muito o mar e deu no que deu. Acho que a hora de vencer a Suelen era agora, perdi por muito pouco, precisava só de 2 e pouco para vencer, mas os juízes não deram a nota, não sei porque. Mas é isso aí, eles sabem o que fazem e vamos continuar na busca aí do título brasileiro”, prometeu Juliana Quint.

SKOL EXPRESSION – O vencedor da bateria especial reunindo quinze surfistas que fechou o sábado na Praia do Cupe foi o cearense Michel Roque. A Skol Expression ofereceu um prêmio de 8.000 Reais para quem apresentasse a manobra mais “redonda”, ou a mais radical, e o aéreo rodando do Michel foi o escolhido pelos juízes. “Antes desse, eu tinha tentado um aéreo e a prancha trincou. Eu até ia sair do mar, mas fiquei pra pegar outra onda e aí completei esse aéreo que foi animal”, contou Michel Roque.

BRASIL SURF SOLIDÁRIO - A ABRASP, Brasil1 e Max Sports convocaram os competidores do Brasil Surf Pro e público presente para a doação de roupas para as vítimas das enchentes em Pernambuco. Foram arrecadadas dez caixas de roupas. David Araújo, representando a Associação Comercial de Porto de Galinhas e o projeto Hippocampus, veio receber as doações para levá-las para o município de Barreiros, um dos mais afetados da região. Marcelo Andrade, da ABRASP, Geraldo Cavalcanti, da Associação Nordestina de Surf, e Sergio Mello, da Brasil1, entregaram oficialmente as doações.

NOVO SINGLE DO PEARL JAM É TEMA DO BRASIL SURF PRO

A direção do Brasil Surf Pro escolheu a música da banda PEARL JAM, “Amongst the Waves”, como a música oficial do campeonato em 2010. “Além de ser uma música com batida forte e letra contundente, estilo característico do Pearl Jam, é inspiradora na questão ambiental e nos faz pensar sobre as nossas responsabilidades com relação à preservação dos oceanos. Tem um forte link com as iniciativas e propostas de gestão sustentável e ações de sensibilização e educação ambiental do BSP. O Pearl Jam também é um grande parceiro em várias iniciativas da Surfrider Foundation”, disse Sergio Mello, diretor e sócio da Brasil1 e um dos diretores do conselho da Surfrider Foundation Internacional. Assista ao novo videoclipe do Pearl Jam, "Amongst The Waves", dirigido por Daren Crawford. Nos minutos finais, o clipe contou com imagens cedidas pelo Greenpeace que mostra oceanos e animais atingidos por um imenso vazamento de óleo: www.pearljam.com/oceans

O Brasil Surf Pro 2010 é patrocinado pela Petrobras, Skol e HD (Hawaiian Dreams) e tem apoio dos canais SporTV e Multishow, da Editora Globo (Revistas Época e Época Negócios) e da TV Jam. O campeonato conta com recursos da Lei Federal de Incentivo ao Esporte. A produção é da Max Sports e realização da Brasil1 Esporte e ABRASP (Associação Brasileira de Surf Profissional). Esta segunda etapa na Praia do Cupe também conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Ipojuca, da Associação Nordestina de Surf (ANS) e será transmitido ao vivo pelo www.brasilsurfpro.com.br.

BRASIL SURF PRO DE PERNAMBUCO – Praia do Cupe, Ipojuca:

FINAL MASCULINA – 12,83 x 11,03 pontos:
Campeão: Alan Jhones (RN) com notas 7,33 e 5,50 - R$ 25.000 e 1.000 pontos
Vice-campeão: Rudá Carvalho (BA) com 6,83 e 4,20 - R$ 12.000 e 860 pontos

SEMIFINAIS MASCULINAS – 3.o lugar R$ 7.000 e 730 pontos:
1.a: Alan Jhones (RN) 15.06 x 11.47 Tânio Barreto (AL)
2.a: Rudá Carvalho (BA) 11.83 x 11.20 Renato Galvão (SP)

FINAL FEMININA – 5,00 x 4,67 pontos:
Campeã: Suelen Naraisa (SP) com notas 3,67 e 1,33 - R$ 9.000 e 1.000 pontos
Vice-campeã: Juliana Quint (SC) com notas 2,67 e 2,00 - R$ 4.500 e 860 pontos

SEMIFINAIS FEMININAS – 3.o lugar – R$ 3.500 e 730 pontos:
1.a: Suelen Naraisa (SP) 10.90 x 9.00 Diana Cristina (PB)
2.a: Juliana Quint (SC) 11.07 x 9.50 Camila Cássia (SP)

RANKING BRASILEIRO MASCULINO – 2 etapas:
01: Alan Jhones (RN) – 1.730 pontos
02: Leonardo Neves (RJ) – 1.400
03: Rudá Carvalho (BA) – 1.360
04: Marcio Farney (CE) – 1.260
05: Hizunomê Bettero (SP) – 1.220
06: Renato Galvão (SP) – 1.130
06: Heitor Pereira (SP) – 1.130
08: Tânio Barreto (AL) – 1.090
09: Messias Felix (CE) – 1.010
09: Pedro Henrique (RJ) – 1.010
09: Odirlei Coutinho (SP) – 1.010
09: Jean da Silva (SC) – 1.010
09: Flavio Nakagima (SP) – 1.010
14: David do Carmo (SP) – 1.000
14: Leandro Bastos (RJ) – 1.000
14: Franklin Serpa (BA) – 1.000

RANKING BRASILEIRO FEMININO – 2 etapas:
01: Suelen Naraisa (SP) – 2.000 pontos
02: Juliana Quint (SC) – 1.720
03: Diana Cristina (PB) – 1.400
04: Camila Cássia (SP) – 1.285
05: Gabriela Teixeira (RJ) – 1.230

Por: João Carvalho
 

--> Inclua seu comentário <--


 


COMENTÁRIOS