Outras Notícias

Veja os Comentários


09/06/2011-17:18:10
Mahalo PRO
 

Foto: Fabriciano Jr.

Mahalo Pro Challenge 2011

Messias Félix decola em Maraca e chega ao topo do pódio.



Alan Jhones permanece na ponta.



Neste domingo, 19, decisão do Mahalo Pro Challenge que é apresentado pela Kenner e acontece na Baía de Maracaípe, cada bateria mais parecia uma final. Os atletas protagonizaram excelentes atuações e promoveram um extraordinário show de surf na sexta etapa da temporada 2011 do Circuito Nordestino de Surf Profissional.

Com direito a todos os tipos de manobras o cearense Messias Félix apresentou suas credenciais de campeão nordestino (2007) e brasileiro (2009), e com performance expressiva, ele que chegou a Maracaípe com sede de vitória, levantou o troféu de campeão da terceira edição do Mahalo Pro e engordou sua conta em R$ 8.000,00.



Air Félix veio sedimentando sua vitória desde as primeiras baterias. Destaque também no primeiro dia da competição triturou as boas e constantes ondas de um metro que quebraram durante toda a prova. Na final saiu pegando uma onda atrás da outra e arrancado notas que o deixaram em situação tranqüila para administrar bem o confronto e sair do mar direto para o merecido lugar mais alto do pódio.

“Estou muito feliz, muito mesmo!” comemorou. “Apostei na variação de manobras e conquistei o resultado. Há um ano eu não vencia, a última vez foi no Cupe, sendo assim, acho que vou comprar um terreno e construir uma casa por aqui!” brincou o sempre muito alegre Faro Fino, como é conhecido entre os amigos.talento

O primeiro atleta a conquistar um troféu do ANS após o ano de retorno do circuito, em 2005, foi outro que impressionou em Pernambuco. Edvan Silva que detém a marca de bicampeão do tour usou toda a sua experiência e surfou com muita propriedade para chegar à grande final. Começou bem o embate e conseguiu aumentar vantagem para permanecer no segundo posto até os minutos finais, momento em que o potiguar Marcelo Nunes encontrou uma onda salvadora (7.17) aonde manobrou com velocidade e tentando chegar ao andar de cima reverteu o resultado. Nunes apresentou muita determinação na semi e final, utilizando seu conhecimento adquirido ao longo da sua carreira e técnica para sair do mar como vice-campeão e deixar Edvan, que subiu um degrau no ranking, saltou de terceiro para segundo, com a terceira colocação na etapa.

O quarto colocado no Mahalo Pro foi o outro representante da Marca no tour Bernardo Lopes. Atleta que apresenta um surf polido e de alto desempenho, na final não contou com a sorte, e apesar de ter surfado com radicalidade não conseguiu acertar nas finalizações para obter o resultado que esperava.

O atual campeão do circuito, e mais um atleta Mahalo, Bruno Galini, mesmo tendo chegado a Maracaípe embalado pelo vice-campeonato conquistado no final semana anterior, também em águas pernambucanas na etapa de abertura do circuito brasileiro, e ter vencido as baterias da segunda e terceira fases, não conseguiu soltar as mesmas manobras nas quartas-de-final. O baiano não encontrou as ondas e com uma somatória baixa ficou com a décima terceira colocação na prova em que, em 2010 levantou o troféu de campeão.

O potiguar John Max dono de um surf fluido e muito competitivo, não tem se saído muito bem nas duas últimas rodadas. O local de Ponta Negra, após vencer em Paracuru, etapa inaugural, e ficar com a sétima colocação em Noronha, não manteve o mesmo ritmo. Em Aracaju ficou fora da prova logo na estréia e agora em Maraca não conseguiu entrar no jogo e parou na terceira fase do Mahalo Pro. Com isto John agora é o terceiro no ranking do ANS Pro Tour.

Alan Jhones que bateu na trave na etapa anterior em Sergipe enfrentou uma disputa bastante acirrada e de muitas ondas, em que os atletas se alternaram na ponta. Jhones não conseguiu defender o segundo posto e a classificação, ainda arriscou tudo em um aéreo, mas não completou com sucesso e ficou com a quinta colocação na sexta etapa do tour nordestino. Mesmo caminho de César Aguiar, local que apresentou muita técnica e raça, mas ficou fora da decisão quando foi barrado por Edvan Silva. Mesmo ficando pelo caminho na semi Jhones continua na ponta do ranking e promete ir com tudo para as próximas etapas em busca do bicampeonato nordestino.

Marco Fernandez e mais um integrante do quinteto fantástico Luel Felipe, Também encerraram suas apresentações na penúltima fase e ficaram na sétima posição.

E quem marcou presença para prestigiar o evento foi o big rider reconhecido mundialmente Carlos Burle (PE). O surfista que mora no Rio e está em Pernambuco visitando a família e os amigos, esteve na praia e ressaltou a importância do Circuito Nordestino para o crescimento e fortalecimento dos atletas, e ficou impressionado com o alto nível do surf que presenciou.

O Kenner Apresenta: Mahalo Pro Challenge tem patrocínios da MAHALO, Kenner e Mahalo Press e conta com os apoios da Prefeitura Municipal de Ipojuca, Eberle Fashion, Lucas Aplique Process e do Governo de Pernambuco, através da Secretaria Estadual de Esportes. As supervisões técnicas são da Associação Brasileira de Surf Profissional (ABRASP), Federação Pernambucana de Surf (FPS) e da Associação Nordestina de Surf (ANS). A divulgação é dos canais ESPN e Woohoo; das revistas Fluir e Ceará Surf Press; e dos portais Waves, Surf Bahia, e Cearasurf, CearaSurf Press e Wave Wind Sports.

Resultados da Etapa:

1º Messias Félix CE

2º Marcelo Nunes RN

3º Edvan Silva CE

4º Bino Lopes BA

5º César Aguiar PE
5º Alan Jhones RN
7º Marco Fernandez BA
7º Luel Felipe PE

Comunicando Surf – Assessoria de Comunicação / comunicandosurf@gmail.com
Jocildo Andrade – 85 9953-1008
Kelen Tostes – 85 8878-2811
Vanessa Vasconcelos – 85 9997-0417
 

--> Inclua seu comentário <--


 


COMENTÁRIOS