Outras Notícias

Veja os Comentários


27/10/2003-09:09:57
Super Surf
 

Com uma apresentação impecável na semifinal realizada neste domingo, o carioca Leonardo Neves garantiu a conquista do bicampeonato brasileiro no SuperSurf 2003, levando a grande torcida que lotou as areias da Praia de Itaúna, em Saquerema, Rio de Janeiro ao delírio.

Ele não deu chances ao ubatubense Odirlei Coutinho e, ainda dentro d'água, comemorou bastante um feito que só o paranaense Peterson Rosa havia conseguido - faturar dois títulos consecutivos.

Na grande final, mais relaxado e já com as chaves da Volkswagen Parati Cross-Over, ele acabou superado pelo também carioca Anselmo Correia, que ganhou a Saveiro SuperSurf, o carro oficial do Circuito Brasileiro de Surf Profissional.

No evento Feminino, a cearense Tita Tavares conquistou sua quarta vitória e fechou a temporada com 100% de aproveitamento. Na decisão, bateu a maior surpresa em Saquarema, a jovem paulista Cláudia Gonçalves, que superou duas favoritas para chegar no pódio.

Mas, como o título brasileiro feminino já estava definido desde a etapa passada em Itacaré (BA), as maiores emoções em Saquarema estavam mesmo concentradas nas semifinais.

Para Leonardo Neves, bastava derrotar o ubatubense Odirlei Coutinho e ele começou forte arrancando uma nota 8,33 logo em sua primeira onda, finalizada com um aéreo.

Na quarta apresentação, já na metade da bateria, foi ainda melhor e recebeu uma nota 8,83 para estabelecer uma imbatível marca de 17,16 pontos. Odirlei Coutinho ainda tirou uma nota 8,07 e totalizou 14,74 pontos, terminando em terceiro lugar na prova.

"Dois high-scores logo no começo da bateria e é isso aí, foi a pressão que eu coloquei desde o inicio do ano que está sendo premiada agora com o título de bicampeão brasileiro aqui em casa", vibrou Léo Neves, que logo foi carregado nos ombros da torcida.

"Eu sabia que tinha pouca onda hoje, mudei a minha prancha e fui para o extremo fazer um surfe radical, com manobras diferentes e os juizes valorizaram isso. Só tenho que agradecer a todos que sempre torcem por mim, à minha família, meus patrocinadores e também os organizadores do SuperSurf, que é um circuito alucinante, com grandes premiações", agradeceu o campeão.

Depois de atender pacientemente toda a imprensa, ele acabou se atrasando para entrar na grande final e o também carioca Anselmo Correia, que ganhou o outro confronto Rio de Janeiro x Ubatuba contra Renato Galvão na segunda semifinal, acabou carimbando a faixa do campeão brasileiro para conquistar sua primeira vitória no SuperSurf.
"Estou muito feliz, porque ralei bastante, fiquei três anos sem patrocínio, agora estou na Wagon e hoje aqui estava toda a minha família, meu técnico Truta, que sempre me apoiou e acreditou em mim, então ofereço esta vitória para eles", falou Anselmo, que nunca teve carro e agora ganhou uma Volkswagen Saveiro SuperSurf.

"De vez em quando, eu usava o carro do meu pai e agora vou ter o meu, com certeza esta Saveirinho vai ser usada durante muito tempo", afirmou Anselmo.

Já no Feminino, apesar de ser vice-campeã no SuperSurf de Saquarema, a paulista Cláudia Gonçalves era só alegria.

"Na semifinal, peguei altas ondas e consegui derrotar a Andréa (Lopes), uma surfista que eu admiro muito e nem precisa falar nada, é uma tricampeã brasileira, né?", disse Claudinha, que antes da semifinal já havia barrado a defensora do título do SuperSurf de Saquarema, Taís de Almeida, nas quartas-de-final.

"Estou muito feliz, porque nunca tinha chegado numa final do SuperSurf e ganhar da Tita Tavares seria uma glória total, mas não consegui achar as ondas na final", completou Claudinha, que ganhou R$ 2.5 mil de prêmio pelo vice-campeonato, enquanto a campeã Tita Tavares faturou R$ 5 mil, além das chaves da Volkswagen Parati Cross-Over pelo título brasileiro.

"Desde o ano passado, vou vivendo com problemas de patrocínio, mas estas vitórias no SuperSurf me deram um novo ânimo e eu aprendi a pensar positivo para continuar seguindo em frente", falou Tita Tavares, que ampliou para nove o seu próprio recorde de vitórias nos quatro anos de SuperSurf.

"Consegui um apoio nesse ano da Off Siren, mas mesmo assim tive que usar o dinheiro que recebi de prêmio no SuperSurf para competir nos WQS (divisão de acesso do Circuito Mundial) da Europa e com ele também vou para o Hawaii, onde vou tentar recuperar minha vaga na elite do WCT", contou Tita, que já havia sido campeã brasileira na primeira edição do SuperSurf em 2000.

O SuperSurf 2003 foi uma realização do Grupo Abril e ABRASP (Associação Brasileira de Surf Profissional) e contou com o patrocínio da Vokswagen Saveiro SuperSurf e TIM, co-patrocínio da Garnier Fructis e apoio da Wagon e Hot Water.

Esta última etapa ainda contou com a parceria da Prefeitura Municipal de Saquarema, da Rádio Cidade FM, da Federação de Surf do Estado do Rio de Janeiro (Feserj) e Associação de Surf de Saquarema. Cobertura online pelo sites Abrasp.com.br e SuperSurf.com.br .

SuperSurf 2003 - Última etapa

1 Leonardo Neves (RJ) 2970
2 Anselmo Correia (RJ) 2840
3 Renato Galvão (SP) 2660
4 Peterson Rosa (PR) 2630
5 Flávio Costa (BA) 2470
6 Odirlei Coutinho (SP) 2450
7 Sávio Carneiro (PE) 2290
7 Tadeu Pereira (SP) 2290
9 Marcelo Trekinho (RJ) 2260
10 Wagner Pupo (SP) 2240
11 Dunga Neto (CE) 2220
12 Lucinho Lima (CE) 2160
13 Eric Miyakawa (SP) 2130
14 Tânio Barreto (AL) 2120
14 Victor Ribas (RJ) 2120
16 Maicon Rosa (PR) 2110

Ranking Brasileiro Feminino

1 Tita Tavares (CE) 4000
2 Silvana Lima (CE) 3180
3 Suelen Naraisa (SP) 3090
4 Andréa Lopes (RJ) 2800
4 Alessandra Vieira (RJ) 2800
 

--> Inclua seu comentário <--


 


COMENTÁRIOS