Outras Notícias

Veja os Comentários


29/10/2003-08:17:40
Competição
 

Marcada inicialmente para a Praia Mole, em Florianópolis (SC), a decisão do Billabong Pro Júnior 2003 será realizada, novamente, na praia de Maresias, em São Sebastião, no litoral norte de SP, entre os dias 20 e 23 de novembro. A competição vai definir o novo campeão sul-americano profissional sub 21 (com menos de 20 anos) e também os seis surfistas que vão buscar o título no Billabong World Junior, o mundial da categoria, de 1º a 8 de janeiro em North Narrabeen, na Austrália.

A etapa inicial deste ano também foi realizada em Maresias, com a vitória do carioca Gustavo Fernandes, que superou três paulistas na grande final – Bruno Moreira, David do Carmo(atleta Surf Reporter/Camera Surf) e Ricardo Ferreira. Estarão em disputa 5 mil dólares, sendo 1.800 para o vencedor, além de uma passagem aérea para a Austrália para o nº 1 do ranking, facilitando a sua viagem para competir no Mundial.

O Billabong Pro Júnior é disputado desde 1998, quando a Association of Surfing Professionals (ASP) criou o Mundial Profissional para os surfistas com até 20 anos de idade, com o objetivo de montar uma estrutura para os novos talentos conhecerem melhor como competir no Tour. Isto porque cada vez mais cedo os surfistas estão deixando de ser amadores e a chegada no profissionalismo acaba, muitas vezes, sendo uma colisão com a falta de preparo psicológico e até física.

O objetivo foi criar uma nova cultura entre os surfistas amadores e os recém-profissionais, para que a euforia de começar um novo estágio na carreira não seja efêmera. Uma mentalidade voltada para o planejamento da carreira e uma oportunidade de crescer em nível técnico e até físico. Para não atrapalhar os estudos dos jovens surfistas são feitas seletivas regionais e os melhores de cada continente disputam a grande final, com 45 mil dólares de premiação.
Participam 48 surfistas. Cada um dos sete escritórios regionais da ASP seleciona seis atletas e, completam a lista, outros seis convidados. Na América do Sul, os atletas são selecionados no Billabong Pro Júnior, que tem as suas etapas no Brasil. As três primeiras versões do Mundial foram disputadas no Havaí. Em 2001 o local escolhido foi Phillip Island, na Austrália, e no ano passado a competição não foi realizada por falta de datas.

Só para ter uma idéia da força do campeonato, o 1º campeão mundial foi o havaiano Andy Irons, atual campeão mundial do WCT e líder do ranking desta temporada. O australiano Joel Parkinson, outra estrela da nova geração da elite mundial, foi bicampeão pro júnior em 99 e no ano passado.
Confirmando ser um das três potências do surf, o Brasil não ficou de fora da lista dos campeões. O carioca Pedro Henrique levou o caneco em 2000. Além do título de Pedrinho, o Brasil sempre esteve bem representado nos quatro anos do Mundial e com os cariocas sendo os melhores. Na primeira disputa, Yuri Sodré foi o 7º colocado. No ano seguinte, Daniel Hardman também ficou em 7º lugar. Já em 2001, Bruno Santos terminou na 5ª posição.

CATEGORIA FEMININA TAMBÉM É DESTAQUE - Junto com a disputa da nova geração masculina, o final de semana em Maresias contará com o Billabong Girls Pro 2003 - Circuito A Onda dos Sonhos, etapa válida pelo ranking Abrasp Super Trials, e a inovadora categoria pro júnior feminina. Nessas duas provas, as vencedoras foram Juliana Guimarães e Suelen Naraísa, respectivamente.
 

--> Inclua seu comentário <--


 


COMENTÁRIOS