Outras Notícias

Veja os Comentários


22/12/2003-14:19:28
Final WCT 2003
 

WCT 2003 só foi decidido na bateria final do XBox Gerry Lopez Pipeline Masters, última etapa do ano, encerrada na última sexta-feira em Pipeline, North Shore da ilha de Oahu, Hawaii. O norte-americano Kelly Slater precisava terminar a frente do havaiano Andy Irons, mas ficou em quarto. Os aussies Joel Parkinson e Phillip MacDonald foram os outros finalistas.

Além do segundo título mundial, Irons faturou o bicampeonato da Hawaiian Triple Crown, evento formado pelos tradicionais campeonatos no Hawaii: Hawaiian Pro (Haleiwa), Rip Curl Cup (Sunset) e Xbox Gerry Lopez Pipeline Masters (Pipeline). Pela vitória no Pipe Masters, o local do Kauai embolsou US$ 30 mil.

Logo no começo da bateria final, em ondas com cerca de 2,5 metros, o aussie Joel Parkinson perdeu a prancha e foi auxiliado pelo "caddie" Mark Occhilupo.

Kelly abriu a participação na final mais aguardada dos últimos anos com uma onda 3.00, enquanto Irons pegou uma onda de apenas 0,20. Mas, na sequência ele levou o locutor ao delírio com um 8.33, melhor onda da final, que viria a decidir o título da temporada.

A resposta de Kelly foi um 4.67, quando precisava de 3.87 para recuperar a liderança. Enquanto isso, Phillip MacDonald, como quem não quer nada, pegou uma boa e superou Slater com uma onda de qualidade, somando 8.27.

Kelly ficou devendo na terceira onda e somou somente 4.50, o suficente para levá-lo de volta à liderança do duelo. Joel Parkinson também não evoluía na bateria e, depois de perder a prancha numa onda 0.43, somou outra onda fraca, nota 5.00.

MacDonald morreu dentro do tubo na segunda onda, somou somente 1.33, mas passou para primeiro, com Kelly em segundo e Irons em terceiro, apesar da melhor média do havaiano.

Mas, bastou uma onda nota 1.00 para o havaiano subir para primeiro, deixar MacDonald em segundo e Slater em terceiro.

Aí, foi a vez de Parkinson acrescentar mais adrenalina à disputa, ao assumir a liderança com duas ondas notas 5.00 e 6.50.

A emoção, porém, ficou restrita ao público na praia, pois a transmissão somente em áudio no site da Tríplice Coroa Havaiana deu um clima nostálgico de era do rádio à final do circuito mundial 2003.

Com duas ondas médias, 5.00 e 6.50, Parko chegou à liderança pela primeira vez no confronto, com MacDonald em segundo, Irons em terceiro e Slater em quarto, quando faltavam 10 minutos para o final.

Para a alegria dos locutores, Andy Irons pegou mais um tubo, somou 6.83 e reassumiu a ponta. Kelly, em último, ficou em combination, precisando de 15.17 para vencer o evento, a três minutos do fim da temporada.

Parko mostrou que não deve ser desprezado em Pipe e, na quarta onda, fez um 7.90. Kelly, já na base do desespero, se jogou mas não arrumou nada, apenas 0.93 e 1.50.

Eliminados na terceira fase, Victor Ribas, Fábio Gouveia, Guilherme Herdy, Peterson Rosa, Paulo Moura e Neco Padaratz foram os melhores brasileiros na etapa, encerrando a competição em 17o lugar.

Neco e Peterson competiram baleados. Neco levou uma quilhada e sofreu corte profundo no tornozelo, durante treino em OTW. Já, o Bronco sofreu uma torsão quando jogava futebol.

Flávio Padaratz e Danilo Costa foram desclassificados na repescagem e ficaram na 33a colocação. Armando Daltro não pôde competir por causa de problemas de saúde na família.

O terceiro lugar na semifinal (quinto na classificação geral do campeonato) era
exatamente o que o australiano Luke Hitchings precisava para elevá-lo à 31ª posição no ranking e à condição de primeiro "alternate" (suplente) no circuito de 2004.

O segundo alternate é o também australiano Troy Brooks, campeão de Haleiwa e melhor classificado no WQS (22º) dentre os que não conseguiram vaga no WCT.

Flávio Padaratz é o nome seguinte na lista de suplentes, embora já tenha anunciado que pretende se dedicar no ano que vem ao circuito brasileiro
(SuperSurf), para o qual já ganhou wild-card dos promotores.

Com o encerramento da temporada, o Brasil manteve na elite mundial os oito surfistas classificados após a final do WQS em Haleiwa. Flávio Padaratz e Fábio Gouveia, pioneiros no Circuito Mundial, além de Danilo Costa, despedem-se do grupo dos melhores surfistas do mundo.

No ano que vem, os representantes do surfe brasileiro no WCT serão Guilherme Herdy, Peterson Rosa, Paulo Moura, Victor Ribas, Neco Padaratz, Armando Daltro, Raoni Monteiro e Marcelo Nunes.

font: waves
 

--> Inclua seu comentário <--


 


COMENTÁRIOS