Outras Notícias

Veja os Comentários


08/02/2004-09:47:35
Noronha 2004 - WQS
 

O sul-africano Warwick Wright, 19 anos, estragou a festa brasileira na decisão do Hang Loose Pro Contest 2004, encerrado neste sábado em ondas de até 2 metros, na Cacimba do Padre, Fernando de Noronha.

Wright disputou a final contra três brasileiros e a expectativa na areia apontava para uma vitória canarinho, pois os atletas brasileiros classificados mandaram bem durante toda a competição. Completaram a decisão o potiguar Marcelo Nunes, o alagoano Marcondes Rocha e o carioca Daniel Hardman.

Com o resultado, o sul-africano quebrou a hegemonia brasileira em Fernando de Noronha e garantiu US$ 10 mil de prêmio e 1,5 mil pontos no ranking mundial do World Qualifying Series (WQS).

Até os minutos finais da bateria, o título estava nas mãos de Marcelo Nunes. Mas, o sul-africano descolou um bom tudo e assegurou o high score do evento, 9.67.

Mas, quem abriu a bateria foi o carioca Daniel Hardman, que pegou uma esquerda e com um tubo conquistou nota 6.83. Em seguida, Hardman pegou mais uma onda faturando 7.33.

Nunes entrou na briga após receber uma nota 8,93 num tubo mais longo e assumiu a ponta 10 minutos depois em outro mais curto.

Durante boa parte da bateria, os três atletas brasileiros optaram por ficar no pico do lado esquerdo do palanque, enquanto o sul-africano ficou em frente à estrutura do evento.

Quando restavam apenas oito minutos para o término da bateria, o Wright, como já havia acontecido nas quartas-de-final, tirou um tubo "da manga" e obteve a maior nota de toda a competição, 9.67. Ele se encaixou num tubo irado, sumiu na cortina de água e saiu.

Com a nota, Warwick Wright abriu 8,68 pontos de vantagem sobre Marcelo Nunes, que ainda tentou três vezes reverter o resultado. Nos momentos finais da bateria, a torcida na areia era grande para que Nunes virasse o resultado e o sul-africano o marcava acirradamente. Foi aí que o potiguar pegou um tubo e tirou nota 7.77, mas não conseguiu reverter porque precisava de 8.68.

Em seguida, Marcondes Rocha pegou uma onda e colocou para dentro uma vez, saiu e depois entubou novamente, mas acabou morrendo dentro do canudo.

Wright venceu a disputa por um placar de 17,60 x 16,70 pontos. Marcelo Nunes, que volta neste ano para o circuito mundial WCT, acabou em segundo lugar, com o carioca Daniel Hardman em terceiro e o alagoano Marcondes Rocha na quarta colocação.

"Eu vi a praia toda vibrar para o Marcelo e pensei que tinha perdido. Estou muito feliz com a vitória. Essa é a segunda vez que venho aqui e acho Fernando de Noronha um lugar maravilhoso, com ótimas ondas e muitos tubos. Eu não sabia que nenhum estrangeiro tinha vencido aqui e isso me deixa ainda mais feliz", disse Wright, que foi carregado nos ombros dos amigos.

"Aquela onda foi muito difícil. Eu entrei no tubo, andei bastante lá dentro e fiquei procurando um lugar para sair, até que encontrei e vi a vibração dos meus amigos na areia. Esperava receber uma nota 8 e pouco e quando vi que tinha sido quase um 10 nem acreditei. Sou muito novo no circuito, esta é a minha primeira final no WQS, minha primeira vitória e quero logo ligar para a minha mãe para contar. Depois, vou festejar com meus amigos até amanhã, quando vou embora para Torres, mas no ano que vem eu estou de volta", prometeu o campeão.

Wright também foi o responsável por despachar na semifinal dois grandes favoritos ao título do evento, o catarinense Neco Padaratz, vencedor em 2002 e campeão mundial do WQS, e o paulista Danylo Grillo.

Apesar de não ter vencido, Nunes ficou feliz com o vice-campeonato, que lhe rendeu um prêmio de US$ 5 mil e 1.290 pontos no WQS 2004.

"Este é o primeiro campeonato do ano e começar já fazendo final é muito importante. Estes pontos ajudam muito no circuito mundial. Naquela onda não viraria mesmo, pois não consegui ficar muito tempo dentro do tubo. Enfim, entre nada e o segundo lugar, prefiro a segunda colocação", contou Marcelo.

"O dinheiro da premiação vai para minha conta. Quando fiquei sem patrocínio, fui obrigado a gastar todo o dinheiro que havia guardado para investir em mim. Agora, acredito que vou conseguir realizar o meu sonho de comprar uma casa para a minha mãe", explicou o surfista.

Marcondes Rocha ficou com a quarta colocação. Foto: Nancy Geringer.
Competindo desde a triagem, Daniel Hardman também ficou amarradão com a terceira colocação e chegou a se emocionar após a entrega da premiação.

"Estava numa expectativa muito grande e quase não venho para cá. Estou muito feliz por ter feito minha primeira final em um evento profissional, ainda mais aqui, em ondas que me identifico bastante", disse ele, que disputa há quatro anos eventos profissionais.

O carioca dedicou a vitória à sua namorada Neymara Carvalho, campeã mundial de bodyboard.

"Ela foi a pessoa que mais me incentivou a seguir em frente quando pensei em desistir", afirma Hardman, emocionado, referindo-se ao péssimo momento que atravessou após torcer o tornozelo e ter de ficar cinco meses sem competir, além de estar sem patrocinador há três anos.

"Agora, espero que alguém invista em mim, acredite em meu potencial como competidor", enfatizou ele.

Hardman viajou para Fernando de Noronha com as milhagens da namorada e ficou na casa do amigo Pablo Neruda para economizar na hospedagem. Pelo terceiro lugar, ele embolsa US$ 3 mil e 1.095 pontos, enquanto o quarto colocado Marcondes Rocha ficou com US$ 2.4 mil e 1.005 pontos.

Depois de cinco anos realizando um evento de nível 4 estrelas em Fernando de Noronha, o objetivo dos organizadores é aumentar a importância do Hang Loose Pro Contest em 2005.

"O campeonato está confirmado para o ano que vem e se der vamos aumentar a premiação, quem sabe até para US$ 150 mil para fazer parte do novo circuito que será inaugurado no ano que vem, o SuperSeries, uma competição intermediária entre o WCT e o WQS", adiantou Álfio Lagnado, diretor-presidente da Hang Loose.

"O evento foi um grande sucesso, teve altos tubos em todos os dias, recorde de participantes e isto tudo prova que a competição está cada vez crescendo mais", disse Lagnado.

"Estou muito feliz por mais uma vez termos sido tão bem recebidos. Quero agradecer aos amigos, clientes, todos os que trabalharam no evento, e também à Nova Schin, que uniu-se a nós na realização desta prova. Acredito que essa parceria com a Nova Schin será longa", completou ele.

Na próxima quinta-feira, começa o Reef Classic 2004 em Torres (RS), onde também estará em jogo um total de US$ 75 mil em prêmios e 1,5 mil pontos no ranking que classifica 15 atletas para a elite mundial do ASP World Championship Tour (WCT).

Com apresentação da Nova Schin, o Hang Loose Pro Contest 2004 contou com o patrocínio da Hang Loose e da Nova Schin, co-patrocínio da Reef, Arnette e da Têxtil Picasso, apoio das surf shops Bali, Overboard, Central Surf, Uluwatu, Surf Trip, Ophicina, Bleat, Styllos, Star Point e Hot Water, além do Governo do Estado de Pernambuco, Administração da Ilha de Fernando de Noronha, Gráfica Formag's, Revista Fluir, Waves.Terra e Nivana Turismo.

Confira a galeria de fotos e os resultados do Hang Loose Pro Contest 2004

Resultado do Hang Loose Pro Contest 2004
1 Warwick Wright (Afr) 1500 ptos
2 Marcelo Nunes (Bra) 1290 ptos
3 Daniel Hardman (Bra) 1095 ptos
4 Marcondes Rocha (Bra) 1005 ptos
5 Paul Canning (Afr) 915 ptos
5 Kirk Flintoff (Aus) 915 ptos
7 Travis Logie (Afr) 833 ptos
7 Jesse Merle-Jones (Haw) 833
9 Danylo Grillo (Bra) 750
9 Wilson Nora (Bra) 750
9 Fábio Nunes (Bra) 750
9 Pedro Henrique (Bra) 750
13 Neco Padaratz (Bra) 675
13 Dustin Barca (Haw) 675
13 Davi de Jesus (Bra) 675
13 Vitor Faria (Bra) 675

 

--> Inclua seu comentário <--


 


COMENTÁRIOS