Outras Notícias

Veja os Comentários


17/02/2005-16:54:56
Noronha 2005
 

Com a transição da maré no período da tarde, a praia da Cacimba do Padre começou a apresentar bons tubos para a segunda metade das vinte baterias realizadas nesta quinta-feira.

Em praticamente todas as baterias pelo menos um ou dois, às vezes três e até os quatro atletas tentavam a sorte ao lado do morro Dois Irmãos na esperança de pegar um canudo que rendesse boa pontuação.

Depois de Guilherme Herdy ter feito a mala por ali na parte da manhã, foi vez de outros nomes se darem bem no pico.

Coincidência ou não, entre eles estavam alguns brasileiros que disputam o WCT, como Renan Rocha, de volta à elite este ano, Victor Ribas, que chegou a perder a vaga mas foi beneficiado com a desistência de Pat O'Conell, e Paulo Moura, atualmente entre os 20 melhores do mundo.

Todos eles tiveram paciência e tranquilidade para esperar a onda certa nos 20 minutos de disputa e tiraram bons tubos.

Rocha fez sua estréia na 16a bateria contra três outros "goofy footers", ou seja, surfistas que surfam de frente para a esquerda e, consequentemente, têm mais facilidade em pegar os tubos no canto da praia.

O baiano Wilson Nora também fez uma boa escolha de ondas e passou em segundo, com Adilton Mariano em terceiro e Vitor Faria em quarto.

Na bateria seguinte, Vitinho mostrou uma técnica apurada para pegar dois tubos na mesma onda, em que foi premiado com nota 8.17 pelos juizes. Com mais um 5.83 ele garantiu a vitória com 14 pontos sobre o segundo colocado Marco Polo. Em terceiro lugar ficou Hizunomê Bettero, com Robson Santos na quarta colocação. Depois foi a vez de Paulo Moura confirmar o favoritismo nas ondas da Cacimba.

Depois de ter sido um dos destaques de ontem, Moura continuou utilizando o conhecimento de várias temporadas na ilha, além do excelente faro e posicionamento para os tubos, e faturou mais uma, levando um 8.83 em um belo tubo surfado com técnica e precisão. Na segunda posição ficou o francês Tim Boal, com os australianos Luke Hitchings e Glen Hall eliminados na terceira e quarta posições, respectivamente.

Ao término desta segunda fase, dos quatro finalistas do Hang Loose Pro em 2003, o único que permanece na competição é o alagoano Marcondes Rocha, já que o sul-africano e defensor do título Warwick Wright, o vice-campeão Marcelo Nunes e o terceiro colocado Daniel Hardman foram eliminados em suas respectivas estréias.

"Espero que eu consiga chegar na final de novo, só que agora é homem-a-homem, ficou mais difícil, mas se vierem as ondas para mim estou preparado", disse Marcondes Rocha.

Wright também lamentou bastante sua derrota prematura no evento. Ele foi eliminado nos últimos segundos pelo norte-americano Gabe Kling na 12a bateria, vencida pelo cearense Márcio Farney.

"Não acredito que perdi. Peguei bons tubos ali no canto, mas pena que os juizes não gostaram tanto e as notas achei um pouco baixas. Queria muito me dar bem aqui de novo, mas fazer o quê. Só me resta agora torcer para que meus amigos da África do Sul vençam o campeonato", falou Wright.

A segunda fase será encerrada na manhã desta sexta-feira, com o bicampeão mundial do WQS Neco Padaratz escalado para estrear na última bateria junto com o atual campeão brasileiro Renato Galvão.

As disputas devem continuar no sábado e as fases decisivas em confrontos homem-a-homem estão previstas apenas para o domingo, quando termina o prazo da vigésima edição do Hang Loose Pro Contest.

Por Ricardo Macario
 

--> Inclua seu comentário <--


 


COMENTÁRIOS