Outras Notícias

Veja os Comentários


08/06/2005-13:50:13
Danilo Costa
 

Por Danilo Costa

Recebi uma ligação do Lula Menezes, da fábrica de pranchas Wet Works, me convidando para fazer uma matéria na Itália, junto com o Pedro Henrique, campeão mundial Junior em 2000.

Automaticamente liguei para o Pedrinho, ainda sem imaginar como seria a viagem, pois nunca pensamos em surfar na Itália.

Lula nos mandou algumas imagens por e-mail. Eu não consegui abrir e fiquei no suspense até chegar em Sardenha, uma ilha localizada no mar Mediterrâneo.

No entanto, Pedrinho havia visto as imagens e falou que tinha uma direita e uma esquerda
Pedro Henrique também surfou boas esquerdas na região. Foto: Arquivo pessoal Danilo Costa.
perfeita.

Agora não é a melhor época, pois swells têm um período curto de dois a quatro dias e, quando acabam, o mar fica totalmente flat.

Só com a entrada de outra ondulação é possível surfar. Chegando em Sardenha, Paolo Fortii, Marco Urtis, Stefano Giuliano, Antimo e o fotógrafo Andrea Della nos receberam com uma energia muito boa e com uma hospitalidade incrível.

Dormimos tarde e acordamos cedo, pois as ondas já estavam boas há dois dias e estavam baixando. Sardenha é considerado o melhor lugar de ondas na Itália. Dois dias na região já deu para ter uma idéia do potencial: mais de 60 picos de beach breaks e a point breaks alucinantes.

A costa é recortada com varias baías e diversos fundos de pedra. A principal fonte de renda é a lã, pois a ilha conta com diversos pastos com muitas ovelhas - o que é comum em toda a Europa.

Os picos que surfamos ficam ao Sul da ilha. Um beach break estilo o Nordeste do Brasil e, como o mar Mediterrâneo, tem a mudança da maré quase zero. Se tiver onda, a maré não influência.

Os dois outros picos que fomos foram em Laguna, um fundo de coral com uma onda que quebra para os dois lados. Uma direita rápida e buraco, e uma esquerda perfeita e longa.

Antes de pegarmos o ferry boat para o continente, paramos em uma praia paradisíaca para darmos uns mergulhos. Valeu a pena, pois foi alucinante.

Passamos a noite num ferry boat, que tinha uma infraestrutura muito boa, com quarto, ducha, restaurante etc. Chegando ao continente, visitamos a famosa Torre de Pisa, pois o mar estava flat. Talvez um novo swell encoste nos próximos dias.

Queríamos agradecer muito a atenção que Paolo, Marco, Stefano e Andrea nos deram e ao pessoal da Wet Works por este convite inesquecível para nós dois. Grazie!

Por Danilo Costa
fonte: waves
 

--> Inclua seu comentário <--


 


COMENTÁRIOS