Outras Notícias

Veja os Comentários


09/09/2003-09:57:25
Longboard
 

A nova geração deu as cartas nas finais da primeira etapa do Petrobras Longboard Classic, o Circuito Brasileiro dos pranchões, que terminou neste domingo, na praia da Macumba, no Rio de Janeiro.

O paulista Danilo Mulinha,de apenas 18 anos, deu um show e dominou completamente seus adversários, tanto na semifinal quanto na final, garantindo o título, mil pontos no ranking e R$ 6 mil na conta abancaria.

Na bateria decisiva, ele marcou 16,4 pontos, contra 13,2 do carioca Marcelo Freitas, segundo colocado. Os paulistas Paulo Kid (10,33) e Adriano Alemão (10,2) completaram o pódio, ocupando a terceira e a quarta posições respectivamente.

Neste domingo, Mulinha repetiu as performances de sexta-feira e sábado: foi o primeiro coloocado em todas as baterias que disputou, conseguiu as maiores pontuações (16,4 na final e 16,33 na semifinal), e ainda emplacou a melhor onda do campeonato: 9,57 pontos.

No entanto, tudo poderia ter dado errado para Mulinha, que durante um treino na quinta-feira trincou sua prancha. Para o paulista seguir na competição, o organizador do Petrobras Longboard Classic e lenda viva do surfe Rico de Souza emprestou uma prancha para o jovem surfista.

"Estou amarradão. Não estou nem acreditando.
Rolou boas ondas para todos e eu fui o melhor numa bateria de nível de Circuito Mundial", comemorou Mulinha, que está pensando em levar a prancha de Rico para a última etapa do Circuito Mundial, em novembro.

Com apenas 18 anos, Mulinha, que surfa no Guarujá, quase não teve tempo para treinar, pois até semana passada estava na expectativa de ser convocado para servir ao Exército Brasileiro. Por sorte, acabou dispensado devido ao excesso de contingente.
"Se tivesse sido chamado, daria um jeito de disputar o campeonato assim mesmo", afirmou o campeão, que estava disposto até a fugir do quartel.

Mais feliz do que Mulinha, porém, estava seu pai, Jorge Eduardo dos Santos, o Mula, que não segurou o choro quando o filho dedicou a vitória a ele: "Somos de origem humilde e esse menino tem muito valor. Pega onda desde os 6 anos de idade e já está em 13o no ranking mundial", disse Mula.

Se no masculino a final teve um favorito desde o início, no feminino a decisão foi nos últimos segundos. A carioca Chris Stockler virou na última onda e superou a catarinense Karina Abras, marcando 8,93 pontos, contra 7,77 da rival. Mainá Thompson ficou em terceiro e Thaís Tedesco, em quarto.

"Rezei muito para que viesse uma onda
salvadora. Quando vi a movimentação do mar atrás de mim, não acreditei. Estou muito feliz. Acho que esta vitória, pela maneira como aconteceu, vai servir para aumentar ainda mais o interesse pelo surfe feminino", declarou a campeã.

Prêmio para Deka - Caçula de uma família de 11 irmãos, ex-servente e morador de uma comunidade carente do Recreio, André Luís, o Deka, recebeu um prêmio mais do que especial e estava tão ou mais contente do que Danilo Mullinha.

Pouco antes da premiação da categoria profissional, Rico de Souza anunciou que a Oxbow abriu uma vaga de convidado para o Brasil na última etapa do Circuito Mundial de Longboard, a ser realizada na Nova Zelândia, em novembro. E a vaga foi para Deka, que quase não acreditou.

"Parece um sonho. Quero agradecer ao Rico e a todos que me ajudam, principalmente aos meus irmãos, que me dão a maior força", disse Deka, que terá as passagens pagas pela Oxbow e pela rede de restaurantes Spoletto.

Resultados

Profissional

1 Danilo Mulinha
2 Marcelo Freitas
3 Paulo Kid
4 Adriano Alemão

Super Legends

1 Chico Paioli
2 Carlos Mudinho
3 Pedroca
4 Gianpiero Cacciola

Legends

1 Murilo Cavalcante
2 Wadhy Mansur
3 Allan Gandra
4 Paulo Sefton

Super Máster

1 Marcello Arias
2 Fred Vidigal
3 Marcelo Moura
4 Luiz Fernando Silva

Máster

1 Sergio Filho
2 Gustavo dos Santos
3 Leandro Alexandre
4 Alexandre Ramos

Junior

1 Roger Barros
2 Alexandre Wolthers
3 Daniel Farias
4 Vinicius Nunes

Feminino

1 Chris Stockler
2 Karina Abras
3 Mainá Thompson
4 Thais Tedesco
 

--> Inclua seu comentário <--


 


COMENTÁRIOS