Outras Notícias

Veja os Comentários


13/09/2007-09:59:34
SuperSurf 2007
 

Por João Carvalho
Foto: Nilton Santos

Apenas cinco surfistas vão disputar o título de campeão brasileiro na grande final do SuperSurf 2007, que será disputada nos dias 10 a 14 de outubro na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

Para levar as chaves do Space Fox oferecido aos campeões da temporada pela Editora Abril, organizadora da divisão principal do circuito brasileiro profissional desde sua criação no ano 2000, a baixinha de 31 anos de idade derrotou a jovem carioca Suelen Ferreira, 21, na bateria final. No masculino, o potiguar Danilo Costa, 30 anos, ganhou a decisão do SuperSurf de São Sebastião do paulista Ricardo Ferreira, 24, que barrou o campeão brasileiro e líder do ranking 2007, Jihad Kohdr, na semifinal.

Recuperado da contusão no joelho que o tirou da etapa passada em Ubatuba, Danilo Costa vibrou bastante com a vitória que o levou da 61.a para a 24.a posição no ranking que garante os 24 primeiros colocados na elite nacional que vai disputar o SuperSurf no ano que vem. O vice-campeão Ricardinho, da Praia Grande, também ingressou na zona de classificação, saindo do 48.o para o vigésimo lugar.

CANDIDATOS AO TÍTULO - Agora, só têm cinco candidatos ao título brasileiro de 2007. O atual Jihad Kohdr se isolou na frente, com o catarinense Marco Polo em segundo lugar, seguido pelo carioca Marcelo Trekinho e pelos paulistas Wagner Pupo e Renato Galvão.O paranaense confirma o bicampeonato se chegar na final da última etapa.

Entrou no mar a grande final masculina com dois surfistas que não tinham conseguido bons resultados neste ano. O paulista Ricardo Ferreira foi o matador de gigantes no SuperSurf de São Sebastião. Na sexta-feira, barrou um dos líderes do ranking, o carioca Marcelo Trekinho, na terceira fase. No domingo, começou o dia derrubando o quarto colocado, Wagner Pupo, nas quartas-de-final. Depois, ganhou uma bateria fantástica contra o atual campeão brasileiro Jihad Kohdr, numa onda espetacular que valeu nota 9,77, a maior do domingo decisivo na Praia de Maresias.

Contando com todo o apoio da enorme torcida, Ricardinho liderou a final após outra apresentação brilhante em que recebeu nota 8,83. No entanto, o potiguar Danilo Costa deu o troco na mesma moeda numa esquerda um pouco melhor, nota 8,93, para confirmar sua segunda vitória na história do SuperSurf com um placar apertado de 15,33 x 14,13 pontos na soma das duas melhores ondas de cada atleta. O título foi dedicado para sua família que estava na Praia de Maresias e principalmente para o seu pai já falecido que tanto o incentivou para seguir a carreira de surfista profissional.

“Essa vitória vai para você, seu Célio, que está lá no céu e mandou a onda da virada para mim”, vibrou Danilo Costa. “Eu queria estar no alto do pódio aqui dois anos atrás, quando perdi uma final polêmica com o Marcelo Trekinho, mas desta vez o seu Célio mandou a onda na hora certa e eu consegui virar o resultado. É a primeira vez que minha esposa vem num campeonato e estou muito feliz. Acreditei na vitória até o último momento e quero parabenizar também o Ricardo Ferreira, que foi o matador de gigantes deste campeonato, mas só faltou ele derrubar um, que sou eu”, brincou Danilo, que recebeu este apelido numa etapa do WCT no Tahiti, onde despachou vários líderes do ranking e só perdeu para Kelly Slater na semifinal. O natalense faturou o prêmio máximo de 22.000 reais oferecido no SuperSurf.

O campeão brasileiro Jihad Kohdr chegou até a esquecer a decepção pela derrota para Ricardo Ferreira nas semifinais e também vibrou bastante com o título do amigo Danilo Costa. “Ele é guerreiro, um grande amigo meu, a gente viaja junto e ele merecia muito uma vitória assim. Hoje era o dia dele”, enalteceu o paranaense que ganhou favoritismo na corrida pelo bicampeonato brasileiro.

Também muito feliz ficou o experiente Guga Arruda, última vítima do campeão antes da final. “Estou aí de volta aos pódios. Ganhei a etapa do circuito catarinense há duas semanas em Camboriú, agora cheguei no pódio do SuperSurf, com tanto surfista bom e tudo é resultado do trabalho intenso que sempre desenvolvi para aprimorar minhas performances nas competições. Mas, realmente hoje era o dia do Danilo”, disse Guga.

Apesar do vice-campeonato, a enorme torcida paulista não deixou de apoiar Ricardo Ferreira, que logo foi cercado pelos fãs quando saiu do mar. Foi a primeira final no SuperSurf do surfista da Praia Grande que realizou grandes apresentações em Maresias. “Foi o melhor resultado da minha vida. A final foi emocionante, consegui um high-score, o Danilo também e mereceu a vitória. Estou muito contente, o campeonato foi alucinante e só tenho que agradecer a todos que vieram torcer por mim”, falou Ricardo, que também comentou sobre a espetacular bateria contra o Jihad Kohdr na semifinal. “Foi sensacional. Eu já tinha tirado um outro líder do ranking, que era o Marcelo Trekinho, campeão aqui duas vezes já e o Jihad começou forte, mas eu sabia que contra ele tinha que dar o meu melhor e consegui”, contou.

A Volkswagen e a Nova Schin apresentam o SUPER SURF 2007, que desde sua criação no ano 2000 é organizado pela Editora Abril e ABRASP (Associação Brasileira de Surf Profissional). A oitava edição da Divisão Principal do Circuito Brasileiro de Surfe Profissional é realizada também com co-patrocínio da Havaianas e Nescau, além do apoio da marca Onbongo e da Revista Fluir.

Esta quarta etapa foi realizada ainda com importante apoio da Prefeitura Municipal de São Sebastião, da Federação Paulista de Surf (FPS) e do www.praiademaresias.com.br, com divulgação da Rádio 89 FM. Toda a competição será transmitida via internet pelo www.supersurf.com.br, www.globoesporte.com e www.abrasp.com.br, com as finais no domingo também passando ao vivo pelo SPORTV.

 

--> Inclua seu comentário <--


 


COMENTÁRIOS