Outras Notícias

Veja os Comentários


17/09/2008-08:17:09
Nordestino PRO
 

Texto: Chico Padilha
Foto: Rodrigo Mesquita

Etapa mais valiosa na capital e final em São Gonçalo do Amarante serão em novembro e dezembro


Se hoje fosse convocada pelo ranking uma "Seleção" do Brasil Tour no rumo ao SuperSurf 2009, entre os onze primeiros nomes haveriam duas novidades: o cearense Michel Roque e Ulisses Meira, da Paraíba, que avançaram para as posições oito e dez e chegam para a Seletiva Petrobras em Saquarema, Rio de Janeiro, buscando trocar seu mais fraco resultado, 98 pontos o de Ulisses Meira e 240 o de Michel Roque. Estão no sul e sudeste os maiores beneficiados no ranking por investimento de grandes empresas, o pentacampeão gaúcho Daison Pereira, top do SuperSurf, tem 1000 pontos para o qual soma vitória em evento de 750 pontos patrocinado pelo Banrisul, e Guilherme Ferreira vice de Daison no mesmo evento máximo e vencedor de prova de 500 pontos que somados lhe garante um resultado de 1145 pontos na divisão de acesso Brasil Tour pelas ondas do sul.

Sem sair do Rio de Janeiro, Vitor Ribas, melhor colocado brasileiro no WCT em todos os tempos (Terceiro), soma um resultado no Brasil Tour de 1125 pontos obtidos com a soma de duas etapas do Estadual Carioca que a Vivo já realizou, uma na capital (Arpoador) e outra em Saquarema, sendo nessa palco a mesma Praia de Itaúna onde nesse fim de semana decide-se a Seletiva Petrobras e fica ainda mais acirrada a disputa pelas treze vagas que a Brasil Tour oferece na elite SuperSurf 2009, podendo cada atleta descartar seu pior resultado, o que no caso de Ribas é um de dois zeros que soma por não ter prestigiando as etapas já realizadas com patrocínio da Petrobras em Santa Catarina e Pernambuco,ambas vencidas por tops do Nordestino, o atual campeão Nordestino e da Seletiva Petrobras Messias Félix, do Ceará, e pelo top 16 do regional e vice líder do SuperSurf o paraibano Jano Belo, que de quebra é líder do Petrobras de Surf.

Colocações x Pontuações
O circuito Nordestino de nove etapas, sete delas já realizadas, vem sendo chamado de "WQS regional" em alusão ao Mundial de Acesso (WQS) que em breve realiza várias etapas no sul e sudeste do Brasil, a comparação se dá em virtude do alto nível dos eventos do Nordestino e de ter nele, a exemplo do WQS, premiação e pontuação diferenciadas de 1000, 1500 e 2000 pontos, com a novidade das duas melhores pontuações no Brasil Tour formarem um resultado no Brasil Tour e três atletas irem ao próximo SuperSurf pelo ranking regional, posições hoje ocupadas pelo líder Haley Batista, de Pernambuco, pelo baiano e vice Franklin Serpa e pelo cearense Thiago de Souza, este o único do trio que já integra o SuperSurf. Thiago, por contusão, não participou da etapa inaugural da elite e do regional este no qual também, por haver dois descartes, poderá somar todos os pontos na penúltima etapa, o Smolder Surf Pro no Ceará que acontece dias 8 e 9 de novembro em Fortaleza, capital do estado, e distribui trinta mil reais além de garantir 750 pontos no Brasil Tour ao campeão, igualando assim o último de quatro eventos da Smolder, penúltima do regional, com as etapas patrocinadas por duas grandes empresas de outras áreas, a Banrisul e Vivo.


Investimento
O investimento da Smolder em etapas regionais com validade também para o Brasil Tour é bastante elogiado por atletas, aficionados e fãs do esporte surf, e coloca a marca em um grupo diferenciado, formado por empresas que, usando o surf em seu marketing, se diferenciam das outras pelo efetivo apoio ao surf amador e profissional através de forte equipe de atletas e eventos de qualidade, os quais ajudam a consolidar o surf como esporte saudável e agregam valor a seus produtos.

As marcas de surf oriundas do Ceará ocupam um espaço cada vez maior no mercado brasileiro, mesmo enfrentando empresas internacionais e outras com origens no sudeste, e as mais sólidas são justamente as que investiram na identidade com o esporte surf e na busca da qualidade.

Além da Smolder, outros bons exemplos são a Pena e a Maresia, a primeira patrocinadora da recente etapa do profissional nordestino e que leva de forma inédita, no próximo fim de semana, etapa do amador regional para São Luiz, capital do Maranhão, e a outra que promove breve etapa do WQS em Santa Catarina e o já iniciado circuito cearense profissional cuja soma das premiação das três provas equivale a do evento regional que a Smolder promoverá em novembro na Praia do Futuro, em Fortaleza, tendo o Smolder Surf Pro no Ceará, o diferencial de ser regional e somar pontos para definir um total de dezesseis vagas na elite nacional, o que a torna o maior evento do surf cearense.

O Smolder Surf Pro pode garantir ao seu término mais cearenses com chances ao título nordestino e do Brasil Tour.

Quarta vez
Será apenas a quarta vez neste novo milênio que será conhecido o campeão nordestino de surf profissional, e os três anteriores foram cearenses: Edvan Silva, em 2005, Thiago de Souza, no ano seguinte, e Messias Félix, este o atual campeão e já reclassificado pelo próprio SuperSurf, a exemplo de Adilton Mariano.

Messias quer novamente ao importante título profissional nordestino, para o qual esse ano os dois atletas do Ceará com mais chances são o quarto colocado Thiago de Souza e Michel Roque, dono da quinta colocação, ambos somam todos os pontos que obtiverem na rica etapa de dezembro, o que transforma em vantagem a falta a uma das etapas passadas, Thiago por contusão na abertura e Michel Roque pela escolha de descartar evento do regional na elogiada Baia Formosa e tentar no Rio de Janeiro, sem sucesso, um resultado de 750 pontos.

Curiosamente, foi Michel Roque, em 2000 e 2001, o antecessor de Messias Félix na conquista de dois títulos Sub-18 (Júnior) do Nordestino Amador, resta saber se entre eles, que são grandes amigos, vai ser Messias quem vai conquistar um ainda possível bicampeonato ou se será Roque quem vai igualar o título que neste milênio só o Ceará possui.

Título
Se depender das estatísticas a vitória na estréia cearense no Nordestino 2008 será de um surfista local, foi assim de forma inquestionável em Pernambuco, que abriu o circuito deste ano com a vitória de Haley Batista, pernambucano e atual líder, e se repetiu na Bahia com a vitória em casa de Bruno Galini. Bahia e Pernambuco porém tiveram suas segundas etapas do Nordestino vencidas por atletas cearenses: Fábio Silva e Michel Roque respectivamente e analisando por essa perspectiva os cearenses teriam mais chances quando o Nordestino retornar ao seu estado em dezembro para ser encerrado com sua nona etapa, segunda no Ceará, o Aquax Pranchão, na Praia da Taíba, litoral norte, e onde provavelmente será conhecido o campeão regional de surf profissional.

Outra análise poderia sugerir que o campeão nordestino será um dos vencedores em Alagoas, estado muito bem representado por Sergio Pontes mas até agora sem vitória de surfista local, neste caso seriam Thiago de Souza, do Ceará, e o baiano Rudá Carvalho os candidatos.

Candidato
Diferente das eleições em dois turnos, a primeira das duas últimas etapas no Ceará pode aumentar ao invés de diminuir o número de candidatos ao título regional, não são poucos os candidatos aos inéditos 2000 pontos regionais e 750 no Brasil Tour que o vencedor garante no Smolder Surf Pro no Ceará e lhe assegura o aumento das chances. Muitos cresceram na reta final e podem transformar a última bateria de uma acirrada disputa no equivalente a última urna de um pleito concorrido.

Para o atual líder Halley Batista (foto), na ponta em cinco rodadas, ter retomado a primeiro já é motivo de confiança, sem falar que descarta apenas 360 pontos, dass menores entre favoritos que prestigiaram todas as sete etapas já realizadas antes do circuito chegar em sua melhor temporada ao Ceará, terra das finais do Nordestino com muito surf e expectativas crescentes.

 

--> Inclua seu comentário <--


 


COMENTÁRIOS