Outras Notícias

Veja os Comentários


19/12/2008-08:52:48
Entrevista
 

Entrevista feita por Maria Clara (RJ), a quem o site SurfByte só tem a agradecer por tudo que nos forneceu em 2008.

Alcione Silva – Uma lição de surfe e de vida
Atendendo pedido do SurfByte, Maria Clara (RJ) entrevistou a surfista potiguar Alcione Silva, pioneira do surfe feminino de Natal e responsável pelo crescimento do esporte entre as meninas.
Natal – o começo de tudo...

Local da Praia dos Artistas, não seria difícil imaginar que Alcione Silva teria o seu destino ligado ao mar. E não foi diferente. Com uma breve passagem pelo bodyboarding, aos 16 anos Alcione começa a achar sem graça surfar deitada e experimenta o “free surf”.

Havia dois desafios: o primeiro era o fato de não ter a sua própria prancha. O segundo, o fato do esporte ser praticado à época, em Natal, apenas por homens. Mas Alcione venceu todos eles. Surfando entre eles, pedia prancha emprestada aos amigos e competia com eles. Até o dia em que ganhou sua primeira prancha de Luciano Lima. E, junto com ela, veio o primeiro título em 1998, o estadual RN Amador, um campeonato misto. Quanto aos homens, viraram seus amigos e, graças ao seu pioneirismo, incentivou muitas meninas de Natal a surfar.

Primeiros patrocínios...
Depois deste título, começou a correr o circuito amador brasileiro feminino, com a ajuda de Ronaldo Barreto e Armando Diniz que ajudavam nos custos e forneciam as pranchas. O resultado: tricampeã amadora em 98, 99 e 2000 .

O mundial no ISA Games em Portugal...
No meio deste caminho, a loja Maresias passou a patrociná-la, com passagem, hospedagem e alimentação. Lá foi Alcione para Portugal correr a etapa do Mundial Amador do ISA Games (International Surfing Association) em 1998, na Costa da Caparica, em Lisboa. E venceu ! Na memória da surfista, uma lembrança inesquecível: “me lembro que foi uma festa brasileira, pois o Picuruta Salazar também ganhou no longboard”. Nesta época a surfista ainda fez uma filmagem para a Maresias no Hawaii com a Tita Tavares , Luciano Lima e Fabio Silva.
Esta competição, O ISA Games, é muito importante, considerada a olimpíada do surfe e ela é a única representante do Brasil a ganhar uma etapa fora...
“Para mim foi muito importante, mas financeiramente não deu o retorno que eu esperava”.

Saída de Natal...
Aqui Alcione faz um desabafo: “viver de Surf não é fácil no Brasil. Mesmo depois do título em Portugal e outras etapas nacionais que venci, aos poucos fui perdendo os apoios locais e precisei sair de Natal em 2003, para ficar mais perto das competições, e vim para o Rio de Janeiro. A Laila Werneck que organiza o Circuito Petrobras Feminino me ajudou a obter apoio da rede de salões Fashion Hair, e passei a ganhar as pranchas do Newton Andrade”.

Rotina de preparação...
Não há segredos. Alcione treina duas vezes por dia, cerca de três horas na praia da Macumba, no Recreio dos Bandeirantes, onde mora, completando com musculação, bicicleta, skate e alimentação saudável.
Competindo, já viajou todo o Brasil e cita as melhores praias para surfar do Nordeste e fora.
“Por uma razão afetiva, a melhor será sempre a minha Praia dos Artistas, onde tudo começou. No Brasil, gosto da Macumba (RJ), Itacaré (BA), Maracaípe (PE) e Maresias (SP). No exterior,as praias da Califórnia, Costa Rica e Hawaii”

O Surfe para Alcione.
“É tudo! Uma adrenalina só, alegria. Quando entro no mar saio outra pessoa, esqueço da vida”

Patrocinadores
“Atualmente só as pranchas do NAD. Tenho tido dificuldades, já vendi até televisão para viajar para não faltar etapa. Gostaria muito de ter apoio de Natal, que ó lugar que eu nasci, pois poderia influenciar outras meninas locais e ajudar o esporte a crescer mais por lá. Este ano de 2008 deixei de fazer a etapa de Santa Catarina por falta de dinheiro ”.

A nova geração de surfistas de Natal no feminino.
“Quando vou a Natal nas férias, vejo muitas meninas surfando nos Artistas e em Ponta Negra. A Krisna já está no circuito nacional, a Givanilta está chegando e também a Débora, que eu considero uma promessa”.

O que faz quando não está surfando
“Sou muito caseira, assisto TV, atualizo as músicas, vou à praia e visito os amigos que fiz no Rio. Na minha moram muitos surfistas do Nordeste”.

Recado para o SurfByte
“É importante demais! Acompanho todos os campeonatos pelo site. Vejo meus amigos. É importante ele continuar divulgando a galera do Nordeste, mostrando os eventos de lá e ainda ajudando quem não tem patrocínio”.

Alcione Silva - 10 anos de campeonatos brasileiros.
Apesar das dificuldades, nesta história, de 98 a 2008, são 10 anos de circuito nacional, que merecem o nosso respeito. Alcione faz parte de um grupo seleto de vencedores no Brasil. Nestes 10 anos obteve boas colocações, conseguiu chegar em 3º.lugar no ranking de 2007, subiu em vários pódios, venceu algumas etapas importantes, como Maresias e Saquarema. Este respeito aparece no jeito carinhoso como é cumprimentada nos campeonatos, por surfistas como Bruno Santos, Danilo Costa, Jano Belo, Fábio Silva, Tita Tavares, Brigitte Mayer, Krisna de Souza e Givanilta, entre outros . Uma lição de vida e de surfe que esperamos ainda ver no mar por muito tempo.

Entrevistar Alcione Silva é receber uma lição de vida. As conversas aconteceram nos intervalos do SuperSurf na Barra e do Circuito Petrobras no Arpoador e revelaram uma surfista com muita garra, por quem passei a ter grande admiração. Aloha, Alcione!
 

--> Inclua seu comentário <--


 


COMENTÁRIOS